Cunha Porã - Caso de triplo homicídio está parado na Justiça há cinco meses

Crime ocorreu em fevereiro de 2017

Por Oeste em Foco 19/01/2018 - 15:19 hs
Foto: Ederson Abi | WH3

O triplo homicídio que chocou a toda comunidade regional, especialmente aos cunha-porenses, completa no dia 27 de fevereiro, exatos 12 meses. Duas adolescentes de 12 e 15 anos, além de uma jovem de 23 anos, foram brutalmente assassinadas a golpes de facão em uma residência de Linha Sabiazinho.

O acusado, Jackson Lahr, de 24 anos, foi detido na noite do crime e está preso preventivamente na Unidade Prisional Avançada (UPA) de Maravilha, no entanto, o caso está parado desde agosto de 2017 no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em Florianópolis.

De acordo com a promotoria de Justiça da Comarca de Cunha Porã, o processo foi encaminhado para instância superior após apresentação de recurso. O juiz da Comarca local aceitou a admissibilidade de levar o triplo homicídio para júri popular. A sentença de pronúncia, que é quando o julgamento pela sociedade é anunciado, aconteceu em 31 de julho do ano passado, porém, a defesa do acusado não aceitou a possibilidade de julgamento popular e entrou com recurso no dia 7 de agosto, levando o processo para Florianópolis.

Na capital, uma câmara criminal, com três desembargadores, vai avaliar o recurso apresentado pela defesa e as contrarrazões. A decisão pode ser por não acatar o recurso, levando o caso a júri popular, ou pedir uma reforma da decisão inicial, mas desde que o processo chegou ao TJSC não foi movimentado.

JULGAMENTO

Em caso de decisão por júri popular, a data será marcada e o julgamento será na Comarca de Cunha Porã, já que a lei afirma que a sociedade local julgará os crimes desse aspecto. Entretanto, em razão da grande repercussão, pode ocorrer pedido de desaforamento, que é quando o caso é julgado em outra comarca, por haver preocupação com a ordem pública, dúvida sobre a imparcialidade do júri ou a segurança pessoal do acusado.

Um exemplo de desaforamento foi no julgamento do caminhoneiro Rosinei Ferrari, que provocou várias mortes no duplo acidente da BR-282, em Descanso. O motorista foi julgado em Chapecó e não em Descanso.

Fonte: Oeste em Foco | WH3