Novo secretário da Saúde de SC diz que vai investir em regionalização e reforma administrativa

Acélio Casagrande tomará posse na próxima segunda-feira (22)

Por Oeste em Foco 21/01/2018 - 10:09 hs
Foto: Reprodução

O novo secretário da Saúde de Santa Catarina, Acélio Casagrande, vai assumir o cargo na segunda-feira (22). No Jornal do Almoço desta sexta-feira (19), ele disse que fará uma reforma administrativa para evitar que se repitam paralisações nos hospitais do estado, como ocorreu em 2017. A nomeação dele foi já publicada no Diário Oficial do Estado.

"Vamos buscar habilitações de serviços para obter mais recursos do Ministério da Saúde. Vamos contar muito com a eficiência da máquina, diminuindo, enxugando, fazendo com que os recursos sejam bem aproveitados e que a equipe seja coesa", disse.

Sobre a crise na saúde e as greves em hospitais, ele disse que cada diretor de hospital terá uma meta a ser cumprida, como se fosse uma unidade hospitalar privada. "Os medicamentos serão comparados à compra de hospitais que têm valores menores, faremos todo um trabalho de equação para não deixar faltar funcionários por leito, mas que seja dentro de um parâmetro, como os que atendem no filantrópico ou particular", completou.

Para resolver problemas atuais na saúde, disse que pretende investir na regionalização. "Levar os serviços para as regiões, dar a cada hospital a condição de atender a população regional, descentralizar e estabelecer parcerias com as secretarias municipais", declarou.

Trajetória

Formado em Administração de Empresas e Gestão de Recursos Humanos, Casagrande começou a carreira política em 1993 como chefe de gabinete do então prefeito de Criciúma, Eduardo Pinho Moreira. Oito meses depois, foi nomeado secretário de Saúde e, mais tarde, secretário da Fazenda, até 1997

Em 2001, foi eleito vereador de Criciúma e também foi secretário de Desenvolvimento Regional do município duas vezes. Além disso, foi deputado federal de 2007 a 2011. Entre 2011 e 2012 foi secretário de Articulação Nacional. Em seguida, assumiu como secretário-adjunto do Estado da Saúde, até 2014. Na sequência, voltou à Secretaria de Articulação Nacional.

 

Fonte: G1