Início do ano letivo é adiado no Colégio São Miguel e mais 35 escolas de Santa Catarina

Dentre os motivos, estão a conclusão de obras e os preparativos para a implementação do Ensino Médio em Tempo Integral (Emiti)

Por Oeste em Foco 11/02/2018 - 09:55 hs
Foto: O Líder | Arquivo

A abertura oficial do ano letivo nas escolas estaduais em Santa Catarina acontecerá na próxima quinta-feira, 15, às 8h30min em uma cerimônia com a presença do secretário Eduardo Deschamps e do governador Raimundo Colombo (PSD) na EEB Industrial de Lages. As aulas serão retomadas nessa e em outras escolas sob o domínio da Secretaria de Estado da Educação (SED), exceto em 36 delas, que terão o calendário escolar atrasado para todos ou boa parte dos alunos. Dentre os motivos, estão a conclusão de obras e os preparativos para a implementação do Ensino Médio em Tempo Integral (Emiti) em 30 escolas, cujos 650 profissionais envolvidos passaram por formação do Instituto Ayrton Senna na semana passada.

Segundo Deschamps, que concedeu coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira, 9, o adiamento do início das aulas será necessário para finalização das obras nas seguintes unidades escolares: EEB Pedro Bittencourt, em Imaruí, EEB Henrique Estefano Koerich (somente para alunos dos anos finais do ensino fundamental), em Palhoça, EEB Laércio Caldeira de Andrada, em São José, EEB Cecília Rosa Lopes, em São José, EEB São Miguel, em São Miguel do Oeste, e EEB Santa Catarina, em São Francisco do Sul.

— Em São Francisco, o mau tempo causou a destruição de uma escola. Então estamos correndo contra o tempo para arrumá-la — justificou Deschamps com um exemplo.

Na escola de Imaruí, de Palhoça e nas turmas de Ensino Médio em Tempo Integral, que neste ano contemplam 30 escolas em todo o Estado, as aulas serão iniciadas em 19 de fevereiro. Já na Laércio Caldeira de Andrada, em São José, as atividades vão ser retomadas no dia 20. As outras unidades escolares de São José, São Miguel do Oeste e São Francisco do Sul abrirão as portas para os estudantes somente no fim do mês, em 26 de fevereiro. No total, 162 escolas estão com obras em andamento no Estado, conforme a secretaria.

A SED ainda garante que as 36 escolas que terão o início das atividades postergadas estão se organizando para a reposição das aulas perdidas. Ingressam neste semestre na rede estadual de ensino 501.006 alunos, sendo 282.639 no ensino fundamental, 183.593 no ensino médio, 12.468 na educação profissional, 4.641 no magistério, 3.525 na educação especial e 14.140 na educação de jovens e adultos. Para dar o suporte de ensino, a SED contará com 18.077 professores efetivos e 18.508 admitidos em caráter temporário — outros 29.195 professores estão inativos no quadro de funcionários da pasta.

O início do semestre letivo acontece após um período de matrículas online disponibilizado por meio de um projeto-piloto voltado a 7.353 estudantes de Florianópolis. Em 2018, a perspectiva da SED é ofertar essa possibilidade para todas as escolas do Estado.

— Tivemos um bom resultado, foi bem aceito. Queremos ampliar para todas as escolas, mas antes precisamos avaliar a condição de internet em cada uma delas — enfatizou o secretário estadual de Educação.

Sobre a conectividade das escolas estaduais, a SED também confirmou um upgrade na velocidade da rede de governo, anunciada ainda no ano passado. De acordo com a secretaria, 100 unidades receberão conexão de 100 Mbps fornecida pelo Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc). Escolas do Ensino Médio Integrado à Educação Profissional (Emiepi), Emiti e EMI terão 30 Mbps, outras 490 unidades vão receber links de 4 Mbps e, por fim, 370 vão poder contar com 10 Mbps. A qualidade da conexão de internet é uma reivindicação dos alunos do ensino médio em tempo integral, que utilizam mais a rede e, até então, nem sempre tinham tecnologia disponível.

Fonte: Diário Catarinense