Xanxerê - MPT e MTE devem investigar imigrantes flagrados na BR-282 em situações precárias

Estrangeiros trabalham como vendedores ambulantes em sistema comissivo. A suspeita é de escravidão. Eles estavam há mais de 20 horas sem comida

Por Júnior Recalcati 12/09/2017 - 13:17 hs
Foto: Polícia Rodoviária Federal

O Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) devem investigar 24 estrangeiros flagrados em condições precárias, viajando em um ônibus de Cruzília (MG), sob suspeita de trabalho escravo. Eles são refugiados de Bangladesh, Índia, China e Senegal e foram descobertos após o veículo em que estavam apresentar pane mecânica na BR-282, em Xanxerê.

O flagrante aconteceu por volta das 10h desta segunda-feira (11) no km 511. O ônibus estava parado sobre a terceira faixa do trecho e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) fez abordagem para auxiliar na ocorrência.

De acordo com a PRF, o coletivo não tinha autorização da ANNT para realizar o transporte, no entanto, os imigrantes entraram legalmente no País. Em contato com a Polícia Federal, a situação dos estrangeiros era regular.

O coletivo foi removido a Unidade da PRF em Xanxerê para os procedimentos legais. Segundo a polícia, durante os trabalhos foi constatado que os passageiros trabalhavam em condições precárias. Eles seriam vendedores ambulantes em sistema comissivo. Além disso, a PRF informou que eles estavam há mais de 20h sem comida e foram levados até um restaurante para que pudessem almoçar.

Os imigrantes seguiram viagem para São Paulo (SP), em outro ônibus, autorizado pela ANTT, por volta das 21h. O MPT e o MTE devem instaurar Inquérito para apurar um possível crime de escravidão.

Fonte: Oeste em Foco