Tunápolis - Morte de paciente gera polêmica e hospital divulga nota de esclarecimento

Delegado, Wesley Andrade, informou que no momento não é possível apontar causas e nem culpados, e que os envolvidos podem responder civil e criminalmente pelas acusações

Por Júnior Recalcati 22/09/2017 - 11:09 hs
Foto: Divulgação

A polêmica sobre a morte de uma mulher, ainda no dia 15 de setembro, no Hospital de Tunápolis, trouxe à tona diversos comentários que repercutiram nas redes sociais. O fato, inclusive, virou caso de polícia. Familiares de Terezia Kothe Kappaun, de 57 anos, registraram Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil, após a morte da mulher. Ela teria sido internada na unidade, no dia anterior (14) ao falecimento, quando foi hospitalizada devido a uma picada de cobra. A família alega negligência, no entanto, somente um laudo pericial deve apontar as causas do óbito.

Conforme a família, Terezia cortava pasto em sua propriedade, localizada em Linha Fátima, no interior de Tunápolis, quando sentiu uma dor intensa no tornozelo direito. Ela foi socorrida pelo marido e encaminhada ao Hospital para atendimento médico. A filha da vítima, Juliana Kappaun, revelou ao grupo WH3 que a mãe foi levada ao Hospital, mas devido à falta de médico, precisou ser encaminhada ao Posto de Saúde. A mulher disse ainda que, após o atendimento, um profissional da unidade básica pretendia liberá-la, porém, devido à insistência da família, a paciente foi internada. Já na Unidade de Referência, Terezia foi medicada e passou por dois testes de sangue que não apontaram presença de veneno no organismo. Durante a noite, a mulher teve piora no quadro clínico e passou a sentir dores abdominais e a apresentar vomito.

No início da tarde do dia seguinte (15), por telefone, em conversa com o marido, Juliana disse que a mãe contou ao pai que se sentia melhor e acreditava receber alta, no entanto, momentos depois, devido a uma embolia pulmonar, sofreu uma parada cardiorrespiratória e faleceu.

A filha revelou também que, na quinta-feira, depois do incidente, os familiares encontraram uma cobra na propriedade, mas não souberam dizer se seria a mesma que teria atacado Terezia.  Após a denúncia na Polícia Civil, o delegado da Comarca de Itapiranga, Wesley Andrade, abriu Inquérito para investigar as causas da morte. Ainda na sexta-feira o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de São Miguel do Oeste para perícia. Um laudo deve apontar as reais causas da morte. Materiais foram coletados e encaminhados ao Instituto de Análises Laboratoriais (IAL), em Florianópolis.

Andrade não estimou prazos para receber os exames devido a grande demanda do IAL. Ele revela que somente após os laudos serem remetidos à Polícia Civil é que as investigações devem prosseguir. Questionado sobre a série de comentários nas redes sociais, alguns, inclusive, audaciosos e maldosos, o delegado foi enfático e disse que até o momento não é possível apontar causas e nem culpados, e que os envolvidos podem responder civil e criminalmente pelas acusações.

Após a repercussão negativa do assunto, a Associação Hospitalar de Tunápolis divulgou nota à imprensa, na manhã desta sexta-feira (22), a fim de prestar esclarecimentos à população. Segundo a nota, toda a equipe de profissionais ficou, igualmente, sentida com a morte da paciente. O texto explica ainda que a Unidade é referência regional em atendimento, devido ao empenho de toda a equipe que trabalha, incansavelmente, para salvar vidas.

A direção ressalta que o procedimento de atendimento a Terezia foi feito seguindo o protocolo médico. Além disso, a Associação Hospitalar firma o compromisso de disponibilizar e prestar todos os documentos e informações necessárias para que os órgãos competentes possam averiguar o que for de interesse, disponibilizando, também, as imagens do videomonitoramento interno.

Por fim, a direção lamentou o pré-julgamento do caso em alguns meios de comunicação e nas redes sociais e informou que tomará medidas judiciais cabíveis, com relação às acusações, para que os responsáveis respondam pelos seus atos.

Veja a nota na íntegra

NOTA À COMUNIDADE EM GERAL E À IMPRENSA

Sobre o falecimento da Sra. Terezia Kappaun, ocorrido no último dia 15 de Setembro, a Associação Hospitalar de Tunápolis esclarece:

1)    Estamos sensibilizados e consternados com a família pela dor da perda. Somamo-nos a dor da família neste momento de tristeza. Toda equipe de profissionais, que sempre trabalha incansavelmente para salvar vidas, ficou igualmente, sentida com a morte da Sra. Terezia;

2)    O Hospital de Tunápolis conta com uma excelente e competente equipe de profissionais e é referência regional em atendimento. Nosso Hospital, que é resultado de um trabalho coletivo, foi construído para salvar vidas e o atendimento de qualidade prestado é resultado de um empenho de toda a equipe;

3)    Todo o procedimento de atendimento da Sra. Terezia Kappaun foi feito seguindo o protocolo médico. Assim que deu entrada no Hospital, imediatamente os exames foram feitos e o acompanhamento de profissionais foi prestado com a atenção de sempre. Em todos os momentos, a equipe médica esteve presente no Hospital;

4)    O Hospital irá disponibilizar e prestar todos os documentos e informações necessárias para que os órgãos competentes possam averiguar o que for de interesse. Disponibilizaremos, inclusive, as imagens do videomonitoramento interno;

5)    Lamentamos profundamente que em alguns sites e nas Redes Sociais, a equipe está sendo pré-julgada sobre o ocorrido, sendo que tudo que estava ao alcance foi feito pela nossa equipe de profissionais. A Associação Hospitalar tomará medidas judiciais cabíveis, com relação as acusações inverídicas e os responsáveis terão que responder por seus atos.

Era o que tínhamos para informar.

Tunápolis/SC, 21 de Setembro de 2017.

ALCIDES LUIS HOFER, Presidente da Associação Hospitalar de Tunápolis

DR. JOEL TRENHAGO, Diretor Técnico do Hospital

Fonte: Oeste em Foco