Nova plataforma de prevenção registra casos de violências em escolas estaduais de Santa Catarina

Por Oeste em Foco 14/11/2017 - 19:36 hs
Foto: Reprodução

Com o objetivo de aperfeiçoar e facilitar o acompanhamento e a atuação do Núcleo de Educação, Prevenção, Atenção e Atendimento às Violências nas Escolas (Nepre), a Secretaria de Estado da Educação (SED) iniciou, na segunda-feira, 13, a implantação do projeto-piloto Nepre Online em 27 unidades estaduais de ensino.

A nova plataforma está incorporada ao Sistema de Gestão Escolar de Santa Catarina (Sigesc) e foi desenvolvida para implementar a Política de Educação, Prevenção, Atenção e Atendimento às Violências na Escola. “A aplicação do sistema irá gerar dados referente aos acontecimentos no ambiente escolar e o encaminhamento dado pelos profissionais à frente do ocorrido”, enfatiza a coordenadora da Educação em Direitos Humanos e Diversidade da SED, Rosimari Koch Martins.

A partir da ferramenta será possível integrar o trabalho dos núcleos com a escola, Gerências Regionais de Educação e SED, além de atender a Lei nº 13.185, sobre o programa de Combate à Intimidação, que institui a emissão de relatórios trimestrais sobre violências nas escolas. “A partir de 2018, os Nepres das escolas contarão com essa ferramenta para registrar os atendimentos, eliminando formulários físicos”, conta a coordenadora.

Os coordenadores do Nepres das Gereds participaram de uma capacitação em outubro sobre a plataforma. “Já podemos observar que efetivamente será um meio facilitador e de um acompanhamento mais próximo da Gered. Estamos ansiosos para poder contribuir com esse trabalho”, diz a diretora Nair de Souza, que atua há oito anos como gestora da EEB Francisco Altamir Vagner, de Rio do Sul.

Sobre a Política

Santa Catarina é o único Estado que tem uma Política de Educação, Prevenção, Atenção e Atendimento às Violências na Escola que, além de efetivar e orientar os Nepres, serve como documento norteador ao enfrentamento de diferentes violências, como o uso e abuso de drogas lícitas e ilícitas, preconceito, racismo, discriminação, homofobia, bullying, cyberbullying, depredação do patrimônio público, entre outros.

Saiba quais escolas terão o sistema piloto:

EEB Francisco Altamir Wagner

EEB Paulo Cordeiro

EEB Engenheiro Annes Gualberto

EEB Bruno Hoeltegebaum

EEB Luiz Delfino

EEB Adelaide Konder

EEB Professora Maria Terezinha Garcia

EEB Nereu Ramos

EEB Alexandre Guilherme Figueredo

EEB Maria Rita Flor

EEB Anita Garibaldi

EEB Presidente João Goulart

EEB Tiradentes

EEB Juracy Maria Brosig

EEB Professora Alícia Bittencourt

EEB Visconde de Cairú

EEB Agar Alves Nunes

EEB Prefeito Silvio Santos

EEB Governador Celso Ramos

EEB Jurema Cavalazzi

EEB Aldo Câmara da Silva

EEB Getúlio Vargas

EEF Maria Clementina de Souza Lopes

Instituto Estadual de Educação

EEB Felisberto de Carvalho

EEB Inspetor Eurico Rauen

EEB Professor Osni Paulino da Silva

Fonte: Secom