Pardais de rodovias federais do RS e SC estão desligados a uma semana

No Oeste, equipamentos nas BR's 153 e 282 também foram desativados

Por Oeste em Foco 18/11/2017 - 09:45 hs
Foto: Reprodução

Os pardais de rodovias federais do Rio Grande do Sul e Santa Catarina não registram multas desde o último dia 11. O motivo é a falta de dinheiro para o pagamento das empresas responsáveis pelos controladores de velocidade. Os equipamentos monitoram 241 faixas de tráfego: 123 em rodovias gaúchas e 118 catarinenses.

Na região Oeste de SC, a medida atingiu a BR-153 entre Concórdia e Irani, e a BR-282 em toda sua extensão, que vai do Extremo-Oeste ao litoral do estado. Os radares nas BR's 280 e 470 na região de Blumenau e Gaspar também foram desativados. A informação, confirmada por um dos representantes da empresa responsável pelos equipamentos, refere-se apenas aos radares fixos. Lombadas eletrônicas, que mostram a velocidade dos veículos, continuam em funcionamento. Segundo o funcionário, o Dnit alega falta de verba para custear o aluguel dos radares.

Porém, ressaltou que os equipamentos registram mais de 100 mil notificações por mês, sendo que somente a arrecadação das multas poderia custear o aluguel dos radares. Devido a determinação, a empresa poderá ser forçada a demitir os funcionários que atuam na manutenção dos radares nas rodovias federais catarinenses.

Além do Rio Grande do Sul e Santa Catarina outros 10 contratos foram suspensos em rodovias federais brasileiras pelo mesmo motivo. Recentemente, em outubro, o Dnit já havia divulgado que os pardais seriam desligados no dia 3 de janeiro de 2018 devido o fim do contrato com as empresas responsáveis pela fiscalização.

Até o momento não há previsão para os equipamentos serem religados. Apesar de os radares estarem desativados, a velocidade nas rodovias deve ser respeitada. Os equipamentos são apenas inibidores de imprudência, porém a responsabilidade deve sempre partir dos condutores.

Fonte: Oeste em Foco | Atual FM | Rádio Gaúcha