Campanha Investimentos Prefeitura SMO
Eeleições 2018!

Eleitores que não votaram e não justificaram no 1º turno, podem votar normalmente no 2º turno

Mesmo com a chance de votar no segundo turno, sem ter ido às urnas no primeiro turno, para ficar com a situação eleitoral em dia é necessário justificar a ausênci

10/10/2018 18h59Atualizado há 8 meses
Por: Júnior Recalcati
Fonte: Diário Catarinense
Marcelo Casagrande | Agência RBS
Marcelo Casagrande | Agência RBS

Os eleitores que não votaram e também não justificaram a ausência nas urnas neste domingo, primeiro turno das eleições 2018, poderão votar normalmente no segundo turno, que ocorre dia 28 de outubro. O voto só não poderá ser exercido caso o eleitor tenha nenhuma pendência com a Justiça Eleitoral, lembrando que o cidadão pode ter o título cancelado caso não tenha votado, nem justificado a ausência, nas últimas três eleições.

Mesmo com a chance de votar no segundo turno, sem ter ido às urnas no primeiro turno, para ficar com a situação eleitoral em dia é necessário justificar a ausência. É possível fazer isso indo em um cartório eleitoral, levando documento de identificação com voto, ou pela internet, por meio do Sistema Justifica.

Entenda

Justificativa online

O requerimento será analisado pelo juiz eleitoral competente, podendo ser aceito ou não. Para isso, o eleitor deve acessar o Sistema Justifica. É preciso informar os dados solicitados e anexar documentos que comprovem o motivo do não comparecimento às urnas.

Indo em um cartório

É preciso preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE) e entregar em qualquer cartório eleitoral ou enviando-o pelo correio ao juiz da zona eleitoral em que esteja inscrito. É necessário levar documentação que comprove a impossibilidade de comparecimento ao pleito.

Prazos e consequências

O prazo para esses procedimentos é de 60 dias após cada turno de votação. No caso do primeiro turno das eleições 2018, o prazo é até o dia 6 de dezembro. O eleitor que deixar de votar e não se justificar sofrerá multa imposta pelo juiz eleitoral. Além disso, sem a prova de que votou na última eleição ou de que se justificou devidamente, o eleitor não poderá exercer uma série de direitos, como:

- Inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se neles;

- Receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público;

- Participar de concorrência pública;

- Obter passaporte ou carteira de identidade;

- Renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;

- Praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda;

- Obter empréstimos nas autarquias, sociedades de economia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários