Terça, 22 de Setembro de 2020 09:14
(49) 99110-3040
Segurança Pública Condição sub-humana!

Operação flagra trabalho escravo em plantação de cebola em SC

14 trabalhadores foram resgatados em propriedade rural de Ituporanga, no Alto Vale do Itajaí

11/09/2020 11h01
Por: Júnior Recalcati Fonte: Santa
Detrae
Detrae

Trabalhadores vindos do sertão nordestino foram resgatados em situação análoga à escravidão em uma plantação de cebola em Ituporanga, no Alto Vale do Itajaí. No mês passado, a vistoria de auditores-fiscais federais resultou na descoberta de nove homens em realidade semelhante. Desta vez foram 14. A averiguação ocorreu entre os dias 1° e 4 deste mês.

Uma das 14 vítimas é menor de idade, o que configura trabalho infantil. Além disso, o modo como tudo aconteceu é considerado tráfico de pessoas. O chefe da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae), Maurício Fagundes, conta que seis conseguiram emprego digno em outra cidade catarinense. Aos demais foi solicitado o  seguro-desemprego de trabalhador resgatado. Eles receberam passagens para retornar ao estado de origem, alimentação e itens de higiene.

Conforme o apurado, fazendeiros encomendam a motoristas e proprietários de ônibus a entrega de trabalhadores para plantio e colheita da cebola. Os patrões pagam o transporte, mas cobram a quantia em forma de serviço quando os homens chegam ao município.

Esquema de tráfico de pessoas

Ainda de acordo com a Detrae, carros de som circulavam pelas ruas do sertão nordestino anunciando a proposta de emprego. A promessa era de uma oportunidade temporária de três meses com carteira assinada, alimentação, moradia e salário de R$ 100 a R$ 150 por dia.

Após quase uma semana de deslocamento e endividados pelos gastos da viagem para Santa Catarina, os trabalhadores eram informados que a carteira de trabalho não seria assinada e que os gastos com alimentação seriam igualmente descontados dos salários. Vivendo em barracos, passavam os dias na lavoura para pagar dívidas que só aumentavam.

Operação Cebolinha

A ação, batizada de Operação Cebolinha em julho, é coordenada pelo Detrae, ligado ao Ministério da Economia, e contou com o apoio da Polícia Federal, Defensoria Pública da União e  Ministério Público do Trabalho. Desde a criação da operação os profissionais já chegaram a 23 trabalhadores nesta situação.

Além disso, no dia 30 de julho 18 trabalhadores foram encontrados em situação semelhante à escravidão em uma propriedade rural de Ituporanga. As condições em que estavam só foram descobertas porque um deles passou mal e o Samu foi acionado.

À época, a prefeitura lamentou que os casos tem se repetido: iludidos com boas promessas, cidadãos chegam à cidade e descobrem a mentira. Sem dinheiro para voltar, acabam se submetendo às condições.

Os casos são investigados pela Polícia Federal. Se condenados, os que submetem outros ao trabalho análogo à escravidão podem ser penalizados com dois a oito anos de reclusão e multa.

Como denunciar

Denúncias de trabalho escravo podem ser feitas de forma sigilosa por este link.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
São Miguel do Oeste - SC
Atualizado às 09h08 - Fonte: Climatempo
15°
Poucas nuvens

Mín. Máx. 26°

15° Sensação
15.2 km/h Vento
57.8% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (23/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 12° Máx. 28°

Sol com algumas nuvens
Quinta (24/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 14° Máx. 30°

Sol com algumas nuvens
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias