Sábado, 19 de janeiro de 2019
(49) 98895-5546
Saúde

10/12/2018 às 22h43 - atualizada em 11/12/2018 às 01h12

Sandro Risso

Chapecó / SC

Uma nova visão sobre o tratamento da lesão de menisco
É a lesão intra-articular mais comum do joelho e é responsável pelo maior número de cirurgias ortopédicas.
Uma nova visão sobre o tratamento da lesão de menisco

Pra você que é atleta profissional, amador ou simplesmente atleta de final de semana, o assunto dessa semana é de extrema importância. Nós conversamos com o Ortopedista Mauricio Fabiani, que fala a respeito de “Uma nova visão sobre o tratamento da lesão de menisco”.  


Conforme Fabiani a lesão meniscal é a lesão intra-articular mais comum do joelho e é responsável pelo maior número de cirurgias ortopédicas. A incidência anual de lesões meniscais é de 66 casos a cada 100.000 habitantes, com homens sendo mais acometidos que as mulheres em uma proporção de 1 caso a cada 2,5 mil homens e  4,5 mil mulheres. A média de idade de acometimento em ambos os sexos é entre 20 a 29 anos. As lesões meniscais são mais comuns no joelho direito, com etiologias variadas, a depender da idade do paciente e de seu nível de atividade esportiva. As lesões meniscais podem ocorrer de forma aguda, ou traumática (mais comum em pacientes jovens, relacionados a traumas esportivos ou acidentes automobilísticos), e crônica, ou degenerativa (relacionadas com pacientes com idade superiores a 50 anos).


O que são os meniscos?


Os meniscos servem basicamente para equilibrar o peso corporal auxiliando na estabilidade do joelho. São estruturas fibrocartilaginosas, que servem basicamente para aprofundar a superfície articular da tíbia e acomodar os côndilos femorais no seu aspecto medial e lateral. Cartesianamente as funções dos meniscos são de distribuir carga pela articulação, ajudar na disfunção do líquido sinovial, prevenir impacto na articulação e auxiliar na estabilidade do joelho.


Quais os sintomas?


As lesões de menisco causam sintomas característicos como dor bem localizada com períodos de alivio e agravo a determinados movimentos, como agachar e cruzar as pernas, além de inchaço e bloqueio (travamento do joelho). O tratamento de uma lesão meniscal dependerá de sua localização, tamanho, tempo de ocorrência, idade e ligação ao esporte do paciente.


Quais as formas de tratamento?


Classicamente, esta lesão é tratada por artroscopia com a retirada do fragmento lesionado, popularmente conhecida como “limpeza meniscal”. Na grande maioria dos casos, este procedimento é suficiente para aliviar a dor, queixas de travamento e faz com que atletas profissionais retornem ao esporte em 10 a 15 dias pós-operatórios. 


No entanto, as pesquisas realizadas nos últimos 20 anos mostram que a maioria dos pacientes submetidos a este procedimento apresenta algum grau de artrose do joelho, embora a maioria não sinta nada. O consenso mundial hoje é que se deve ao máximo preservar o menisco em pacientes jovens com lesões extensas e nos casos em que há desvio de eixo (pernas tortas), pois estes casos podem evoluir mais rápidos para degeneração (desgaste) e se tornarem de difícil tratamento. Isso, especialmente em pacientes jovens que sofreram lesão traumática há pouco tempo.


O que há de novo no tratamento da lesão de menisco?


A sutura meniscal (costura do menisco) é uma técnica que permite preservar a totalidade do menisco, o que tem benefícios futuros, pois previne eventuais alterações degenerativas do joelho. Aquilo que inicialmente era uma técnica de muito difícil execução foi recentemente simplificado com o aparecimento de diversos sistemas de sutura.


O consenso mundial hoje é que se deve ao máximo preservar o menisco em pacientes jovens com lesões extensas e nos casos em que há desvio de eixo (pernas tortas), pois estes casos podem evoluir mais rápido para degeneração (desgaste) e se tornarem de difícil tratamento.


A técnica de sutura de menisco tem a limitação de só poder ser realizada quando a ruptura atinge a zona vascularizada (periférica) do menisco, pois só esta tem potencial de cicatrização.


 As indicações mais aceitas, na literatura mundial, para as suturas meniscais são as lesões meniscais agudas, ou seja, com até 6 semanas de evolução, com lesões de até 4 centímetros de comprimento, situadas na zona vermelho-vermelha do menisco, e que ocorra em pacientes jovens, com até 40 anos de idade.


DR. MAURICIO FABIANI ⠀⠀⠀⠀⠀⠀


✔ CRM/SC 20388 / RQE 14997


✔ Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) / TEOT 15598


✔ Fellowship em cirurgia de ombro e cotovelo no Instituto Vita em São Paulo (Serviço credenciado pela Sociedade Brasileira de cirurgia do Ombro e cotovelo - SBCOC)


✔ Fellowship em cirurgia do joelho no Instituto Vita em São Paulo (Serviço credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho (SBCJ)).


☎ 49 3322 5056 ou 49 9 9138 1162

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Sandro Risso

Sandro Risso

Blog/coluna A coluna Saúde em Foco destaca assuntos relevantes com uma releitura dos principais acontecimentos, teorias e práticas da área. O objetivo é trazer informações que possam auxiliar os leitores no dia a dia, seja para tomar decisões ou simplesmente para aqueles que buscam subsídios em suas argumentações. O colunista, Sandro José Risso, preza pelo elo entre o leitor e o escritor a fim de agregar valores à manutenção e melhoria na saúde de seus seguidores.
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium