Segunda, 18 de março de 2019
(49) 98895-5546
Economia

25/12/2018 às 15h42

Júnior Recalcati

São Miguel do Oeste / SC

Fazenda publica Índice de Participação dos Municípios no ICMS para 2019
Araquari é mais uma vez o município com o maior crescimento no Índice de Participação dos Municípios (IPM) na arrecadação do ICMS. Em 2019, a cidade vai receber R$ 10,5 milhões a mais do que neste ano, uma evolução de 23,9%, efeito das atividades das fábricas BMW e Hyosung
Fazenda publica Índice de Participação dos Municípios no ICMS para 2019
Divulgação

Araquari é mais uma vez o município com o maior crescimento no Índice de Participação dos Municípios (IPM) na arrecadação do ICMS. Em 2019, a cidade vai receber R$ 10,5 milhões a mais do que neste ano, uma evolução de 23,9%, efeito das atividades das fábricas BMW e Hyosung. Os dados do IPM na arrecadação do ICMS de 2017, que será repassado ao longo de 2019 para todos os municípios, foram publicados pela Secretaria de Estado da Fazenda de Santa Catarina (SEF/SC) na última semana. As informações estão disponíveis aqui, a partir da página 83.


Em junho deste ano, a Fazenda publicou os índices provisórios do IPM, dando aos administradores municipais o direito de questionar os números. Somente após análise e julgamento dos pedidos de impugnação, a Fazenda publica a lista do IPM definitivo.


 “O IPM é uma das principais receitas para a maioria dos municípios catarinenses, por isso trabalhamos sempre em parceria com representantes das cidades para definir regras de apuração e julgamentos”, afirma o secretário da SEF/SC, Paulo Eli.


Maiores participações – Assim como em 2018, Joinville (8,3%), Itajaí (7,6%), Blumenau (4,8%) e Florianópolis (2,8%) terão as maiores participações ao longo de 2019. No entanto, ressalta-se que dos quatro, apenas Itajaí não registrou queda no índice - em 2019, o município irá receber R$ 18,1 milhões a mais. Joinville teve queda de 2,7% em relação a 2018, uma repercussão financeira de R$ 11,1 milhões a menos. Blumenau apresentou IPM 0,4% menor (R$ 958,6 mil a menos) e Florianópolis 0,8% a menos no índice (R$ 1,1 milhão a menos).


Menores participações – Na lista dos municípios com menores participações estão Pescaria Brava (0,060%), Rio Rufino (0,061%) e Presidente Nereu (0,062%). 


Maiores quedas – O ranking das maiores quedas é liderado por Porto Belo (-16,3%), que receberá R$ 1,5 milhão a menos que neste ano. O município de Araranguá também entra na lista, com queda de 14,5% no IPM, um impacto negativo de R$ 3,4 milhões.


Maiores crescimentos – O ranking dos maiores crescimentos, liderado por Araquari, tem ainda os municípios de Ponte Alta do Norte (14,7%), que receberá R$ 709 mil, e Balneário Piçarras (13%), que terá R$ 1,2 milhão a mais no ano que vem.


Como é feito o cálculo - O IPM é calculado anualmente pela Secretaria de Estado da Fazenda, que considera como principal critério o “Movimento Econômico” – também conhecido como “Valor Adicionado” (VA) – para compartilhar com os Municípios o ICMS recolhido pelo Estado. A lei regulamenta que o Governo do Estado deve repassar 25% da arrecadação de ICMS aos Municípios, sendo que 15% desse total são divididos igualmente entre os 295 Municípios e 85% são distribuídos de acordo com o VA.


FONTE: Oeste em Foco | Secom

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium