Campanha Investimentos Prefeitura SMO
Infiltração Joelho

Infiltração no Joelho: Quando devo fazer?

Confira a quência da série de entrevistas que aborda problemas ortopédicos

Sandro Risso

Sandro RissoA coluna Saúde em Foco destaca assuntos relevantes com uma releitura dos principais acontecimentos, teorias e práticas da área. O objetivo é trazer informações que possam auxiliar os leitores no dia a dia, seja para tomar decisões ou simplesmente para aqueles que buscam subsídios em suas argumentações. O colunista, Sandro José Risso, preza pelo elo entre o leitor e o escritor a fim de agregar valores à manutenção e melhoria na saúde de seus seguidores.

04/02/2019 17h29Atualizado há 5 meses
Por: Sandro Risso
Fonte: Oeste em Foco

Dando sequência à série de entrevistas que aborda problemas ortopédicos, esta semana o assunto é “Infiltração no Joelho. Quando devo fazer?”. Leia o que escreve o médico ortopedista Mauricio Fabiani. 

A infiltração consiste em aplicar uma injeção com medicamentos corticoides, anestésicos ou ácidos hialurônicos para tratar lesões, inflamações ou reduzir a dor. Este procedimento é feito, na maioria das vezes, em articulações como joelho, coluna, quadril, ombro ou pé, apesar de também poder ser feito em músculos ou tendões.

As indicações mais comuns são as osteoartrites, contusões nos esportes, processos inflamatórios como tendinites, nódulos, epicondilite, entre outros. Algumas vezes se faz necessário a utilização de ultrassom para ter certeza da localização.

O procedimento de uma infiltração é relativamente simples, mas só deve ser realizado por um médico com experiência sendo necessária a desinfecção da pele e uso de materiais estéreis. O procedimento é realizado no consultório sob condições estéreis (assepssia e antissepssia). 

Inicialmente, é feita uma anestesia local e em seguida é aplicado o medicamento, que pode ser feito com ajuda de um exame de ultrassom ou radiografia, para determinar exatamente o local. O procedimento completo de uma infiltração articular dura de 2 a 5 minutos e embora provoque alguma dor, esta é ligeira e suportável.

Quem pode ser considerado como um bom candidato para a infiltração?

 Os indivíduos que têm, dor no joelho crônica persistente apesar de terem feito tratamento conservador, incluindo: fisioterapia, injeções de cortisona, modificação de atividade, perda de peso, anti-inflamatórios não-esteróides e analgésicos;

• Indivíduos que não podem tomar não anti-inflamatórios, como, por exemplo, aqueles que têm uma história de gastrite e úlceras gástricas ou doenças renais;

• Indivíduos para os quais a cirurgia não é uma opção ou para aqueles que gostariam de adiar a cirurgia.

A infiltração substitui uma cirurgia?

De maneira nenhuma!

Ela é considerada hoje uma grande ferramenta que auxilia o tratamento da doença cartilaginosa. Alguns casos de artrose mais avançada com desvio de eixo (pernas tortas) e que cursem com instabilidade (falseio) tem indicação absoluta de tratamento cirúrgico como a osteotomia ou a prótese total.

O procedimento é realizado apenas no joelho?

A viscossuplementação foi, inicialmente desenvolvida ao joelho. Porém, com o passar do tempo e com melhor compreensão dos seus efeitos, produtos também foram criados para outras articulações. Alguns em menor quantidade e com diferença de concentração. Algumas articulações como o quadril, cotovelo e o ombro devem ser abordadas sob auxílio de ultrassonografia. Hoje, a viscossuplementação pode ser feita em: joelhos, quadris, tornozelos, pequenas articulações como metatarso-falangeanas, punho, ombro, cotovelo e articulações facetárias da coluna vertebral.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários