Oeste em Foco - Facebook
Saúde em Foco!

Ceratocone: sintomas e alternativas

É uma doença degenerativa que provoca a deformação da córnea, membrana transparente que protege o olho.

Sandro Risso

Sandro RissoA coluna Saúde em Foco destaca assuntos relevantes com uma releitura dos principais acontecimentos, teorias e práticas da área. O objetivo é trazer informações que possam auxiliar os leitores no dia a dia, seja para tomar decisões ou simplesmente para aqueles que buscam subsídios em suas argumentações. O colunista, Sandro José Risso, preza pelo elo entre o leitor e o escritor a fim de agregar valores à manutenção e melhoria na saúde de seus seguidores.

18/02/2019 20h35Atualizado há 3 meses
Por: Sandro Risso
Fonte: Oeste em Foco | Sandro José Risso
Oeste em Foco
Oeste em Foco

Ceratocone é uma doença degenerativa que provoca a deformação da córnea, que é a membrana transparente que protege o olho, tornando-a mais fina e curva, adquirindo a forma de um pequeno cone.

Os principais sintomas são: Visão embaçada, hipersensibilidade à luz, visão dupla, dor de cabeça. 

Somente o oftalmologista pode desconfiar da presença do ceratocone e fazer um exame para avaliar a forma da córnea do olho. Caso a forma do olho se vá alterando, geralmente é feito o diagnóstico de ceratocone e é usado um computador para avaliar o grau da curvatura da córnea, ajudando a adequar o tratamento.

Ainda não se conhece a causa exata da doença. Segundo a oftalmologista Janaina Dias, umas das possíveis causas é o ato de coçar os olhos com frequência. “Todos os pacientes que desenvolvem ceratocone, em algum momento da vida coçaram os olhos”, afirma Dias.  Outra origem pode ser hereditária. O ceratocone também pode ter origem hereditária.

O ceratocone normalmente não causa cegueira completa, porém, com o agravamento progressivo da doença e alteração da córnea, a imagem enxergada vai-se tornando muito embaçada, acabando por dificultar as atividades diárias.

Ainda segundo Janaina, o principal tratamento é a aplicação chamada de cross-linking de colágeno, que tem como objetivo retardar e/ou estabilizar a progressão do ceratocone. “O que a gente faz é a aplicação da vitamina B12, a Riboflavina + o raio ultravioleta” completa ela. Dias afirma que o ceratocone não é curado, ele apenas estabiliza, ou seja,  não há mais agravamento da lesão e esse procedimento precisa ser feito uma única vez durante toda vida. O procedimento é eficaz, com baixo índice de complicações, podendo ser indicado para pacientes com ceratocone progressivo e ectasia (dilatação) progressiva pós-cirurgia refrativa.

Os demais tipos de tratamento podem ser o uso de óculos, lentes rígidas para correção do grau de visão e implante de anel na córnea. “O transplante de córnea é a última alternativa a ser considerada devido ao risco desse tipo de cirurgia. Só sendo realizada quando o grau de alteração é muito elevado ou quando o ceratocone piora mesmo depois dos outros tipos de cirurgia”, completa. 

Em caso de dúvida procure o seu oftalmologista.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários