Oeste em Foco - Facebook
São Miguel do Oeste

Trevisan defende projetos regionais em Brasília

Construção de ponte sobre o Rio Uruguai e liberação para licitar usina de asfalto foram os principais pleitos do prefeito de São Miguel do Oeste, esta semana, na capital federal

16/04/2019 15h12
Por: Júnior Recalcati
Fonte: Oeste em Foco | Ascom
Divulgação
Divulgação

O prefeito de São Miguel do Oeste e presidente da AMEOSC, Wilson Trevisan, participou na semana passada da XXII Marcha a Brasília. Na capital federal, Trevisan acompanhou seminários com as principais autoridades políticas do País e inteirou-se do planejamento e propostas do Governo Federal para os municípios. “Ficamos com uma boa expectativa para os próximos meses, de retomada do crescimento da nossa economia, o que possibilitará novos investimentos em diversos setores”, avalia.

Trevisan também manteve importantes reuniões em ministérios. Na Casa Civil, juntamente com prefeitos do Noroeste do Rio Grande do Sul, foi recebido pelo secretário executivo da pasta, José Vicente Santini. A pauta principal foi a construção de uma ponte sobre o Rio Uruguai, em Itapiranga, que está sendo reivindicada pelas lideranças catarinenses e gaúchas. Na oportunidade, foi dado andamento, ainda, às tratativas para federalização da SC-163, entre São Miguel do Oeste e Itapiranga.

No Ministério do Desenvolvimento Regional, o prefeito de São Miguel do Oeste pleiteou a liberação para abertura da licitação de uma usina de asfalto para a região da AMEOSC. O próprio Ministério (na época, da Integração Nacional) já havia autorizado a destinação dos recursos para esta finalidade, na ordem de R$ 4,5 milhões, mas a efetivação do repasse esbarrou em questões técnicas levantadas pelo departamento jurídico da pasta, que estão sendo trabalhadas.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários