Facig 2019
Polêmica!

Moro teria dito que defesa de Lula fez "showzinho"

Novos trechos de conversas atribuídas a integrantes da Lava-Jato foram divulgadas por site The Intercept Brasil nesta sexta-feira

15/06/2019 18h41
Por: Júnior Recalcati
Fonte: Diário Catarinense
Tarla Wolski | Especial
Tarla Wolski | Especial

O ministro da Justiça e ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba Sergio Moro teria orientado procuradores do Ministério Público Federal (MPF) a emitir nota para rebater o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo do triplex do Guarujá (SP). 

As informações foram publicadas no The Intercept Brasil na noite de sexta-feira (14). O site publicou novos trechos de diálogos atribuídos a Moro e o então procurador do MPF Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Lava-Jato, hoje aposentado. O procurador afirmou que "desconhece completamente" as mensagens (veja nota no final desta reportagem).

As mensagens teriam sido trocadas em 10 de maio de 2017, dia do depoimento do ex­-presidente, de acordo com o site. Moro teria perguntado a Santos Lima “o que achou” da audiência. Ao sair da Justiça, Lula deu um discurso a apoiadores no qual afirmou que queria ser, novamente, presidente do Brasil. 

Segundo o site, pouco depois das 22h, Moro teria trocado com Santos Lima as seguintes mensagens: “Talvez vcs devessem amanhã editar uma nota esclarecendo as contradições do depoimento com o resto das provas ou com o depoimento anterior dele. Por que a Defesa já fez o showzinho dela”, teria dito Moro.

“Podemos fazer. Vou conversar com o pessoal. Não estarei aqui amanhã. Mas o mais importante foi frustrar a ideia de que ele conseguiria transformar tudo em uma perseguição sua”, teria respondido Santos Lima.

De acordo com The Intercept, as mensagens de Moro teriam sido reenviadas para o procurador Deltan Dallagnol, que combinou com Santos Lima o teor da nota. O site também divulgou diálogos atribuídos a assessores de imprensa do MPF, contestando a iniciativa de rebater o depoimento.

Fala adulterada, rebate ministro

Uma hora depois do diálogo com Santos Lima, Moro teria dito a Dallagnol: “Blz. Tb tenho minhas dúvidas dá pertinência de manifestação, mas eh de se pensar pelas sulilezas envolvidas.” 

No dia seguinte, uma nota foi distribuída à imprensa apontando as contradições de Lula no depoimento e repercutida em diversos veículos.

Os procuradores da Lava-Jato afirmaram, nos últimos dias, que são vítimas de ataque cibernético – informação endossada pela Polícia Federal. Também declaram que não é possível saber a veracidade de todas as mensagens. Procurado pelo The Intercept Brasil, Moro declarou que “não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas”.

Contraponto do procurador

O procurador aposentado Carlos Fernando dos Santos Lima divulgou, em sua página no Facebook, uma nota na qual afirma desconhecer "completamente" as mensagens citadas. Confira na íntegra:

"Desconheço completamente as mensagens citadas, supostamente obtidas por meio reconhecidamente criminoso, acreditando singular que o "órgão jornalístico" volte-se agora contra mim, aparentemente incomodada pelas críticas que tenho feito ao pessimo exemplo de "jornalismo" que produz. Além disso, creio que o "órgão jornalístico" deve uma explicação de como teve acesso a esse material de origem criminosa, e quais foram as medidas que tomou para ter certeza de sua veracidade, integridade e ausência de manipulação. Gostaria de saber também se foram entregues os meios eletrônicos pelos quais esse material foi recebido para perícia pela PF, tanto para verificar possíveis manipulações, quanto para identificar a origem do crime. Lembro, por fim que a liberdade de imprensa não cobre qualquer participação de jornalistas no crime de violação de sigilo de comunicações. "

Trechos atribuídos

Em 10 de maio de 2017, às 22h04, Sergio Moro teria trocado mensagens com o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima sobre o depoimento de Lula dado no mesmo dia a respeito do caso do triplex no Guarujá (SP). Depois de depor, Lula discursou para multidão em Curitiba, com ataques à Lava-Jato e a Moro e fez o lançamento informal de sua candidatura às eleições de 2018.

Moro – O que achou?

Santos Lima – Achei que ficou muito bom. Ele começou polarizando conosco, o que me deixou tranquilo. Ele cometeu muitas pequenas contradições e deixou de responder muita coisa, o que não é bem compreendido pela população. Você ter começado com o triplex desmontou um pouco ele.

Moro – A comunicação é complicada pois a imprensa não é muito atenta a detalhes.

Moro –  Alguns esperam algo conclusivo.

Moro – Talvez vcs devessem amanhã editar uma nota esclarecendo as contradições do depoimento com o resto das provas ou com o depoimento anterior dele.

Moro – Por que a defesa já fez o showzinho dela.

Santos Lima – Podemos fazer. Vou conversar com o pessoal.

Santos Lima – Não estarei aqui amanhã. Mas o mais importante foi frustrar a ideia de que ele conseguiria transformar tudo em uma perseguição sua.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários