Facig 2019
Novidades!

Polícia Militar desenvolve aplicativo para acionar o 190 via celular

Dispositivo também contará com botão do pânico, que ficará disponível apenas para mulheres vítimas de violência doméstica e com medidas protetivas

22/08/2019 23h17
Por: Júnior Recalcati
Fonte: Diário do Iguaçu
Mateus Frozza | Rádio Chapecó
Mateus Frozza | Rádio Chapecó

O comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina e presidente do Colegiado de Segurança Pública de SC, coronel Carlos Alberto Araújo Gomes, esteve em Chapecó e, em encontro com a imprensa na manhã desta quinta-feira (22), falou sobre a redução dos índices de violência no Estado, aumento no número de prisões em flagrante e apreensões de armas e outros objetos.

O comandante também falou sobre uma novidade que está em desenvolvimento e que deve ser apresentada nos próximos 30 dias aos catarinenses: um aplicativo onde a população poderá acionar a PM via celular e também contará com um botão do pânico para ajudar na proteção de mulheres vítimas de violência doméstica.

Ele detalhou que o app estará disponível tanto para Android quanto IOS. "Você baixa, faz um cadastro e permite que você chame a PM por ali. Colocando a Polícia Militar na dimensão dos Apps", pontua.

Araújo Gomes detalha ainda que nos próximos dias o aplicativo será colocado em teste em duas cidades, para somente após esse piloto ser ampliado para o estado, o que deve acontecer em breve. "Aumenta a segurança para quem chama, porque consegue fazer isso mais rápido. O endereço de quem aciona já está confirmado, pré-cadastrado. Aumenta também a segurança para o policial, porque as pessoas estão cadastradas e checadas", diz.

O comandante reforça que tendo o aplicativo e os usuários cadastrados, a expectativa é de, inclusive, diminuir ocorrências de trote. Pelo aplicativo ainda a polícia poderá acompanhar a localização da vítima, em caso de sequestro, pelo registro do aparelho de celular.

Funcionalidades do aplicativo

Ao todo o aplicativo terá 12 funcionalidades, mas serão lançadas passo a passo. "Nesse primeiro momento serão duas: chamar a PM e o botão de pânico para violência doméstica", explica.

Araújo Gomes pontua que na questão do botão do pânico, essa opção não estará disponível para qualquer cidadão. Ele é exclusivamente destinado a mulheres vítimas de violência. "Nós estamos conectados com o sistema do Tribunal de Justiça. Se uma mulher obtiver uma medida protetiva e estiver cadastrada no aplicativo, ele identifica a existência da medida e habilitará a função de violência doméstica e botão de pânico", conta.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários