Facig 2019
Copa do Brasil 2019

Fora de casa, Inter começa a decidir título da Copa do Brasil contra o Athletico-PR

Apenas dois anos após disputar a Série B, Colorado joga para ser bicampeão 27 anos depois da última conquista nacional

11/09/2019 15h47
Por: Maico Zanotelli
Fonte: Correio do Povo
Ricardo Duarte / Internacional / CP
Ricardo Duarte / Internacional / CP

Só dois anos depois de viver as agruras da Série B, o Inter prepara-se para disputar um título nacional. Mas o caminho até os dois jogos contra o Athletico Paranaense, o primeiro nesta noite na Arena da Baixada, às 21h30min, o outro na próxima quarta-feira, no Beira-Rio, foi difícil, recheado de obstáculos e provações. A reconstrução do Inter que agora pode conquistar o título da Copa do Brasil passou pelos gabinetes antes de chegar ao campo. 

Assim como a queda para a segunda divisão não foi fruto do acaso − pelo contrário, foi resultado de uma série de erros da gestão anterior − a volta do clube à condição de postulante das grandes conquistas também é resultado da reestruturação da administração como um todo. Várias iniciativas concederam fôlego, inclusive financeiro, para a reforma do grupo de jogadores e a construção de um time capaz de chegar à final da Copa do Brasil. “O nosso grupo é unido e está mobilizado. Trabalha duro no dia a dia. Está forte e lutará muito para conquistar esse título, que para nós é muito importante”, resume o vice-presidente de futebol, Roberto Melo.

Vários jogadores que participaram da campanha de volta para a primeira divisão, em 2017, estarão em campo na Arena da Baixada hoje à noite. A maioria da equipe titular, aliás. Marcelo Lomba, Victor Cuesta, Uendel, Edenilson, D’Alessandro e Nico López singraram o Brasil jogando em lugares bem mais modestos do que aqueles que o clube estava historicamente acostumado. 

“Estou muito feliz de estar participando desta parte da história do Inter, assim como estive também na fase anterior”, enfatiza Cuesta. “Eu apostava que o Inter voltaria logo para a primeira divisão, tinha certeza que a Série B era só uma passagem. Quando aceitei o convite do Inter, muitas pessoas não entenderam, mas eu tinha certeza que seria uma chance única”, confirma o lateral Uendel, que estava no Corinthians quando foi procurado pelos dirigentes colorados para formar a equipe que disputou a Série B. “Estar aqui e poder disputar títulos outra vez mostra que o nosso trabalho está sendo bem feito”, completa.

A meta do Inter é conquistar em Curitiba um resultado capaz de trazer a decisão para o Beira-Rio. Para isso, promete atacar o Athetico mesmo o jogo sendo fora de casa. A meta é buscar um resultado parecido com aquele que garantiu na fase anterior, quando venceu o Cruzeiro no Mineirão por 1 a 0 e pôde jogar no Beira-Rio com tranquilidade. 

Mas não será fácil. O Inter não tem bom retrospecto na Arena da Baixada, onde só venceu uma vez depois da reforma do estádio para a disputa da Copa do Mundo. Justamente em 2014, os colorados bateram o time da casa por 1 a 0. Depois, foram três derrotas e um empate.

O Inter terá força máxima nesta quarta-feira, mas foi a Curitiba com uma preocupação a mais:  Nico López e Rafael Sobis (que deve ser reserva), estão pendurados com dois cartões amarelos e, caso sejam punidos, ficarão fora do duelo de volta da decisão.

Athletico busca título inédito

O Athletico-PR voltará a disputar uma final de Copa do Brasil após seis anos. Marcelo Cirino, remanescente da campanha do vice-campeonato desta competição em 2013, quando a equipe paranaense foi superada pelo Flamengo - empatou em casa por 1 a 1 e perdeu por 2 a 0 no Rio -, valorizou a força da equipe rubro-negra em sua casa. "Naquela época, a gente não tinha a nossa casa (o Athletico teve de jogar na Vila Capanema), que faz toda a diferença", disse o atacante atleticano.

Essa será a segunda vez que o Athletico-PR estará presente em uma decisão da Copa do Brasil, para a qual a equipe se classificou com uma vitória nos pênaltis sobre o Grêmio após triunfo por 2 a 0 no tempo normal, na última quarta-feira, quando devolveu o placar obtido pelo time gaúcho no confronto de ida. E agora a equipe encara outro gigante do Sul, mas com o objetivo de abrir vantagem para atuar em uma situação mais confortável na finalíssima da competição. 

Para este jogo de ida na capital paranaense, o Athletico tem duas dúvidas no time titular, sendo uma na lateral direita e outra na zaga. Khellven e Madson lutam pela posição na ala, enquanto Lucas Halter e Robson Bambu disputam um posto para fazer dupla de defensores com Léo Pereira.

Copa do Brasil - Final 

Athletico-PR

Santos; Khellven (Madson), Lucas Halter (Robson Bambu), Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini; Nikão, Rony e Marco Ruben. Técnico: Tiago Nunes.

Inter

Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Patrick e Edenilson; D'Alessandro, Nico López e Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Data e hora: 11/09, às 21h30min 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários