WhatsApp
Brasileirão 2019

Chapecoense perde para o Fortaleza e se complica ainda mais no Brasileirão

Verdão do Oeste de SC sofreu 2 a 0, os dois gols marcados por Wellington Paulista

09/10/2019 22h47
Por: Maico Zanotelli
Fonte: NSC
Márcio Cunha / Divulgação
Márcio Cunha / Divulgação

Está cada vez mais difícil para a Chapecoense se manter na Série A do Brasileirão. O time perdeu novamente, desta vez por 2 a 0 para o Fortaleza, no Castelão, na noite desta quarta-feira (9), e se distancia cada vez mais dos adversários na briga pela permanência. Os gols do adversário foram marcados por um ex-jogador do Verdão do Oeste de SC, Wellington Paulista, que no ano passado ajudou o time catarinense a permanecer na elite nacional.

Na tentativa de buscar sua primeira vitória no comando da Chape, o técnico Marquinhos Santos fez algumas mudanças na equipe para a partida. O goleiro João Ricardo entrou no lugar de Tiepo e Bruno Pacheco retomou a posição no meio, com o deslocamento do volante Márcio Araújo para a lateral-direita.

A estratégia parecia que ia dar certo no início da partida. A Chapecoense foi para cima e conseguiu um escanteio com apenas dois minutos de jogo. Mas depois acabou se encolhendo e o Fortaleza foi tomando conta da partida. 

Romarinho finalizou de fora da área e João Ricardo espalmou. Depois foi a vez de Osvaldo acertar a trave. A Chape só finalizou no gol aos 31 minutos, com Roberto. Marcelo Boeck, ex-goleiro do Verdão, fez a defesa.

No entanto, quem trabalhou mesmo foi João Ricardo, que defendeu um cabeceio de Carlinhos e outra finalização, de dentro da pequena área, de Romarinho. Boeck só voltou a trabalhar no final do primeiro tempo, em recuo errado da defesa, que Camilo quase aproveitou. A Chapecoense ainda reclamou um pênalti não marcado em Camilo. 

Porém, no início do segundo tempo, o time catarinense acabou tendo um pênalti marcado contra, numa carga de Campanharo em Romarinho, dentro da área. Wellington Paulista cobrou e colocou o time da casa em vantagem no placar: 1 a 0.

Após o gol, a Chape melhorou e criou boas chances de gol. Uma delas em cobrança de escanteio de Camilo, que Elicarlos cabeceou para o chão, a bola quicou e acabou saindo. 

Depois o goleiro Marcelo Boeck fez duas defesas em sequência, em chutes de Roberto e de Vini Locatelli, em bola que ainda desviou no zagueiro Paulão. Na tentativa de empatar, o time catarinense deixou espaços para o Fortaleza, que acabou fazendo 2 a 0, novamente com Wellington Paulista. 

A Chapecoense ainda tentou diminuir e teve uma bola na trave, com Camilo. Mas não conseguiu evitar novo resultado negativo, o que diminui bastante as chances do time catarinense permanecer na Série A. O Fortaleza foi para 28 pontos e a Chapecoense fica nos 15.

Restam apenas 15 confrontos para tentar algo próximo de 30 pontos. O próximo jogo do Verdão é domingo (13), às 19h, contra o Cruzeiro, na Arena Condá. Restam sete jogos na em casa para a torcida tentar fazer a diferença.

Ficha técnica

FORTALEZA - 2

Marcelo Boeck, Tinga, Paulão, Quintero, Carlinhos; Edinho, Juninho e Felipe; Osvaldo (Marlon), Romarinho (Mariano Vazquez) e Wellington Paulista (André Luís). Técnico: Rogério Ceni.

CHAPECOENSE -0

João Ricardo, Márcio Araújo, Rafael Pereira, Douglas e Roberto (Renato Kayzer); Elicarlos, Campanharo (Vini Locatelli), Bruno Pacheco e Camilo; Régis (Arthur Gomes) e Everaldo. Técnico: Marquinhos Santos.

Gols: Wellington Paulista (F), aos quatro minutos e aos 35 minutos do segundo tempo

Arbitragem: Rodrigo Carvalhães de Miranda, auxiliado por Michael Correia e Luz Cláudio Regazone. No VAR, Grazianni Maciel Rocha. (quarteto do RJ)

Cartões amarelos: Quintero, Felipe, Wellington Paulista, Juninho (F); Márcio Araújo, Everaldo (C)

Local: Arena Castelão, em Fortaleza-CE

Público: 25.425

Renda: R$ 163.990,00

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários