Sexta, 21 de setembro de 2018
(49) 98895-5546
Geral

12/09/2018 às 17h30 - atualizada em 12/09/2018 às 18h50

Júnior Recalcati

São Miguel do Oeste / SC

Justiça promove audiência sobre acidente com ambulância dos bombeiros na Willy Barth
Duas testemunhas devem ser inquiridas em prazo máximo de 60 dias. Novo interrogatório foi marcado para o dia 25 de outubro
Justiça promove audiência sobre acidente com ambulância dos bombeiros na Willy Barth
Júnior Recalcati | Oeste em Foco

O Poder Judiciário da Comarca de São Miguel do Oeste promoveu, nesta quarta-feira (12), a audiência da ação penal do caso de um motorista acusado de dirigir embriagado e causar um acidente de trânsito envolvendo a ambulância do Corpo de Bombeiros, na Avenida Willy Barth, em São Miguel do Oeste.


As atividades iniciaram às 14h com a presença do réu e os advogados de defesa, Andrey Luiz Paterno e Gustavo Holz, do juiz de Direito, Márcio Luiz Cristófolli, e da acusação, representada pelo promotor de Justiça, Rafael Fernandes Medeiros.


Durante o encontro foram inquiridas cinco testemunhas, duas delas de defesa. Devido à ausência de outras duas pessoas, o Ministério Público insistiu na oitiva de sua testemunha, o que também foi optado pela defesa. Desta forma, Cristófolli deu prazo de 60 dias para que os envolvidos sejam oficiados. Um novo interrogatório foi marcado para o dia 25 de outubro de 2018, às 14h45.


A denúncia do MP indica que o acusado deve responder por embriaguez ao volante, lesão corporal culposa na direção de veículo automotor e dano ao patrimônio público. No processo, o então promotor de Justiça de São Miguel do Oeste, Átila Guastalla Lopes, agora lotado em Balneário Camboriú, destaca que o condutor, de 33 anos, consciente e voluntariamente, conduzia um Honda Civic com a capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool.


A acusação frisa que o motorista adentrou de inopino na via – que possui duas pistas – e invadiu a pista pela qual trafegava o veículo de socorro, sentido São Miguel do Oeste a Guaraciaba, no momento em que se deslocava para o atendimento de uma ocorrência.


Lopes ressalta que com o impacto da batida a ambulância colidiu em um poste de iluminação pública deixando três profissionais feridos e danos de elevada monta na ambulância. O Ministério Público informou, ainda, que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) constatou a embriaguez do denunciado, porém, ele se recusou a fazer o teste do bafômetro.


Na denúncia, o MP também pediu o bloqueio de bens a fim de reparar os danos causados à corporação. O valor mínimo fixado chega a quase R$ 100 mil.

FONTE: Oeste em Foco

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium